Arquivo do mês: junho 2015

Sexo, Gênero e Orientação Sexual

Patrícia Saar Paz

the pink and blue project

Há algum tempo penso em escrever um texto abordando os termos que usamos para tratar da sexualidade humana. Considero que este seja um assunto importante por dizer respeito a todos nós: as dúvidas, confusões ou equívocos que podem surgir em relação ao seu uso levam desde à falhas na comunicação até à situações de violência que, acredito, devem ser combatidas. Por tratar-se de um assunto difícil, uma vez que muito conceitual, irei me concentrar na apresentação dos termos neste primeiro momento para, em textos futuros, trazer discussões relativas à temática. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Sexo e Sexualidade

O que chamamos família

Vinícius Cavalcanti de Abreu

cada familia tiene lo suyo - felipe giménez

É com grande prazer e interesse que apresento este tema para reflexão no Multiverso Terapêutico. Tenho verdadeira alegria e imediata prontidão para estudar, conversar e debater sobre o assunto família, principalmente no que se refere à problematização de suas configurações. Sei que para algumas pessoas este é um assunto delicado e, portanto, percebo ser importante deixar muito claro o lugar de onde “falo” para tecer esta reflexão. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Família

Mimimi

Patrícia Saar Paz

one finger

Expressão de conotação pejorativa, equiparável ao “chororô”. Fala-se em “mimimi” para indicar uma reclamação infundada, o choro gratuito e de manha, lamentações sem justificativa plausível. Esta é a minha compreensão do significado da expressão e é a partir dela que proponho a reflexão de hoje. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Temáticas Contemporâneas

Mudar! Pode ser pra ontem?

Vinicius Cavalcanti de Abreu

La persistencia de la memoria

Quando criança, nos anos iniciais do ensino fundamental, era comum a realização de um experimento muito simples que fazia parte da matéria de ciências e, por conseguinte, do estudo da vida: plantar grãozinhos de feijão em um algodão umedecido dentro de um copinho plástico. Lembro-me que ficava de tal forma entusiasmado que me frustrava com a demora do feijão para brotar. Todos os dias, por várias vezes, ia até o copinho e espiava para ver se alguma diferença já podia ser notada. Em alguns momentos me questionava se tinha feito algo errado. Será que não iria brotar? Estava em um local com pouca luz? Encharquei demais ou de menos o algodão? Será que os grãos não estavam bons? Alguns adultos chegavam até a se aborrecer com minha impaciência. Mas quando o broto aparecia, uma sensação de realização e alegria intensa me inundavam e imediatamente aquietava-se meu coração. Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Psicoterapia

Quando um relacionamento dá errado

Patrícia Saar Paz

Vampire Edvard Munch

A fala inspiradora do tema que apresento hoje para discussão no Multiverso Terapêutico já surgiu em atendimentos, conversas com pessoas próximas, cenas de filme e muito provavelmente já foi dita ou ouvida por você em algum momento: meus relacionamentos nunca dão certo. É esse nosso ponto central, mas não iremos direto a ele. Peço que iniciemos por um caminho paralelo que espero, nos servirá como atalho. Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Relacionamento

Amar

Vinicius Cavalcanti de Abreu

Amor - Fredy holzer

Escrever sobre o ato de amar é algo complexo e que pode ser realizado a partir de diversas óticas e perspectivas. Proponho aqui apenas um pequeno recorte. Gostaria de refletir sobre o que, intimamente, vivenciamos como amar.

Entendo o amar como o ato de colocar o amor em movimento, a expressão do amor em nossas vidas. O amar pode ser direcionado a mim mesmo, ao outro, a uma força superior ou espiritualidade (que receberá nomes diferentes dependendo de minhas crenças) e às ideias e ideologias. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Relacionamento

A família está mesmo em crise?

Patrícia Saar Paz

A familia-thumb-800x623-49730

A discussão sobre a “crise da família” tem sido cada vez mais frequente e acalorada, recheada de preocupações com seu inevitável fim no futuro próximo caso não se inicie a luta por sua defesa desde já. O tom catastrófico desse discurso me faz pensar inicialmente em duas questões: qual significado está sendo atribuído à palavra “crise”? e o que está sendo considerado como “família”?. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Família