O que seus olhos lhe mostram?

Patrícia Saar Paz*

image

“A beleza está nos olhos de quem vê”, diz um ditado do qual gosto muito. Da forma como o entendo, ele quer dizer que a possibilidade de ver algo bom depende mais dos olhos de quem olha do que daquilo que está sendo visto. Ou seja, é o nosso posicionamento diante das experiências que define a maneira – agradável ou não – como elas serão vivenciadas por nós.

É bastante comum dividirmos o mundo em pessoas otimistas e pessimistas. Isso significa dizer que estes dois grupos de pessoas assumem atitudes diferentes diante de suas vivências e que isso influenciará seus sentimentos e atitudes.

No entanto, há quem diga que se coloca de maneira realista diante das experiências que vive, não se vendo enquadrado em nenhum dos dois grupos. Entendo que esta percepção possa ser fundamentada a partir do seguinte raciocínio: os fatos independem das pessoas que os vivenciam e da interpretação e significado que elas lhes atribuem.

Sim, os fatos “acontecem”. Mas quem os preenche de cor e sentido é a pessoa que está diante deles. Deem uma boa olhada na imagem escolhida para ilustrar nosso texto de hoje. É um fato que as flores do ipê caem e se espalham ao seu redor. Alguns podem chamar este fenômeno de sujeira, outras vão enxergar ali um belo tapete.

Não é difícil percebermos em nossa história momentos marcantes que foram definidos pela maneira como nos posicionamos. Seja uma experiência ruim que teve seus efeitos abrandados pela forma leve como foi encarada ou uma situação que poderia ser corriqueira e sem importância, mas que se tornou grave ao ser abordada com dureza excessiva.

Será que somos capazes de perceber nossa responsabilidade pela forma como essas histórias se desenrolam? Entendemos que, se vemos apenas o que há de difícil nas situações que encaramos e não as potencialidades positivas, isso se deve a um filtro adotado por nós mesmos?

Acredito ser possível treinar nosso olhar para viver de forma mais leve, saudável e produtiva. Não se trata de vestir lentes cor de rosa e ignorar os problemas, mas sim de privilegiar o que há de bom a fim de fortalecer-se para encarar as dificuldades que sempre surgirão.

Imagem: autoria desconhecida, imagem retirada da internet.

*Patrícia Saar Paz CRP 04/34248 é psicóloga clínica na cidade de Belo Horizonte (MG). Atende crianças, adolescentes, adultos, casais e famílias. Contanto: multiversoterapeutico@gmail.com

Deixe um comentário

Arquivado em Relacionamento, Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s