Minha carta de amor

Patrícia Saar Paz*

amor perfeito

Já vivi amores barulhentos, que começam avassaladores, tiram o sono, a fome, a atenção e só deixam sorrisos bobos e borboletas batendo asas no estômago. Eu os via como amores, não posso negar. Mas hoje sei que eram paixões.

Todas elas duraram pouco e surgiram por algum motivo muito específico. Ainda que ressaltassem características importantes, nunca contemplavam minha totalidade: “como você está linda!”,uau, sua voz é incrível”, “ninguém faz isso tão bem quanto você”. Acredito ser esse o motivo de serem passageiras. Quando o encantamento saía de cena, logo a paixão o seguia e eu ficava novamente sozinha.

O que se passa agora é diferente. Esse amor chegou manso, silencioso e determinado. Como quem faz questão de entrar, mas não quer de jeito algum fazer bagunça ou alarde. Não posso dizer que não o vi se aproximando, só não imaginava a extensão de seus efeitos. Minha vida nunca foi transformada de uma forma tão radical.

Por causa dele eu vivo satisfeita, mas não me permito ser acomodada. É como se agora eu conseguisse, ao mesmo tempo, me sentir perfeitamente feliz com quem eu sou e disposta a melhorar e mudar tudo aquilo em mim que não me faz bem e agrada.

Graças a ele me sinto plena, e por causa dele há espaço suficiente para cuidar de tudo o que tem importância em minha vida: família, trabalho, amigos, saúde e o que mais eu eleger. Alegro-me ao perceber que ele não cria competições entre meu bem-estar e os bons relacionamentos que me cercam.

Desde que ele chegou me sinto muito mais bonita. Não pensem que tem a ver apenas com estética. Eu gosto, sim, da imagem refletida no espelho, mas não apenas por seus atributos físicos. Ela me agrada porque representa uma mulher que é bonita por dentro, com qualidades dignas de admiração. Isso também me faz sentir mais capaz e confiante!

Naturalmente, nem tudo tem sido maravilhoso em minha vida desde que esse amor chegou. Ainda que algumas pessoas percebam minhas mudanças e se alegrem, há quem se ressinta com a independência que também surgiu. Acontece que meus critérios mudaram e isso afeta muitos relacionamentos. Já não faço coisas que me machucam ou contrariam simplesmente para agradar. Não me importo em soar exagerada: foi meu amor quem me libertou de obrigações que só faziam mal e deu forças para exigir o que é melhor para mim. Exigir de mim mesma, entendam bem, porque eu percebi que a responsável pela minha felicidade sou eu.

Estou vivendo uma tranquilidade incomparável. Entendo que ela não indica estabilidade e sei que os dias difíceis continuarão surgindo. Claro que muitas vezes sinto medo e me percebo abalada, mas tenho conseguido me recompor e volto a encontrar paz. Não me aflijo porque sei que não faltarão instrumentos necessários para enfrentar as adversidades – e isso inclui pedir ajuda quando sentir que não consigo sozinha.

A todas as pessoas que estão lendo esta carta, desejo sinceramente que encontrem um amor como este. Aviso que é trabalhoso, requer dedicação, cuidado e muito carinho, mas nada na vida vale mais a pena. E saibam: esse tipo de sentimento não pode ser dado por ninguém. Um amor como estou sentindo por mim só pode vir de dentro.

Imagem: “Amor-perfeito”, papel de parede Ana Walls

*Patrícia Saar Paz CRP 04/34248 é psicóloga clínica na cidade de Belo Horizonte (MG). Atende crianças, adolescentes, adultos, casais e famílias. Contanto: multiversoterapeutico@gmail.com

Deixe um comentário

Arquivado em Narrativa Terapêutica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s