Arquivo do mês: abril 2017

Prevenção do suicídio

Patrícia Saar Paz*

Em nossa última publicação trouxemos uma reflexão baseada na série 13 reasons why, que apresenta o tema suicídio de maneira equivocada ao coloca-lo nas formas de escolha e vingança.

No texto de hoje proporemos tratar o suicídio como uma possibilidade.

Quando uma pessoa pensa em acabar com a própria vida é muito provável que esteja vivendo um sofrimento quase insuportável, que já não veja sentido em seguir adiante ou não tenha encontrado caminhos para isso. Então o suicídio é, sim, visto como uma possibilidade por essa pessoa e se não o encararmos dessa maneira, dificilmente conseguiremos prestar uma ajuda útil para sua prevenção.

Diante da possibilidade de que uma pessoa querida tire a própria vida, quais condutas podemos adotar?

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Temáticas Contemporâneas

Precisamos falar sobre suicídio – “13 reasons why”

Patrícia Saar Paz*

A série original da Netflix, 13 reasons why, tem dividido opiniões na internet. Há quem elogie a abordagem de assuntos tão graves e importantes, como o suicídio, bullyng e estupro, mas também são feitas críticas sólidas a respeito da produção.

Para quem não sabe do que se trata, a série conta a história de Hannah Baker, uma adolescente que, antes de cometer suicídio, grava 13 fitas contando seus motivos. Cada motivo é associado a uma pessoa de seu convívio e as fitas são enviadas para todos os envolvidos, a fim de que compreendam sua participação na morte da personagem.

Assisti à série e penso ser pertinente propor reflexões sobre ela considerando dois níveis diferentes: forma e conteúdo.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Temáticas Contemporâneas

A família que escolhi

Patrícia Saar Paz*

Constituir família: casar, ter filhos. Esse pode ser o grande sonho de muita gente. É um sonho tradicional, bonito e, porque não dizer, um tanto comum. Não causa espanto a ninguém quando é declarado e há quem diga, inclusive, que é natural e necessário para uma vida feliz e completa.  

Quando tratamos a constituição da família como um desejo óbvio, deixamos de refletir criticamente sobre tudo que está envolvido nesse projeto.  Casar e/ou ter filhos não são etapas naturais da vida, como a queda dos dentes de leite. São escolhas que podem gerar satisfação, crescimento e alegria.

Ou não.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Família